A importância do silêncio

18-03-2020


Tudo aqui, nesta pequena imensidão, tem a sua importância, tudo sem exceção e com as devidas posições e timings certos!

Este, o planeta terra, é para mim, o planeta do ruído, senão, notem bem, se não for através dos humanos, direta ou indiretamente, será pelos outros animais, da chuva, do vento, do fogo, das folhas que caem, o ruído está em tudo, e conforme vamos sendo habituados a isso, a nossa vivencia torna-se numa "obsessão", num vício. De tal forma que, quando a ausência do mesmo se começa a evidenciar, procuramos, quase inconscientemente uma busca por ele, pelo ruído, não fosse este o planeta do ruído, ruídos bons, ruídos menos bons, mas todos eles são bons, nos seus momentos, nos seus timings...
O ruído é de certa forma útil, é uma forma de dissuasão e de atração, é uma forma de dissimulação, de aproximação, de união e de paixão, pode ser exclusivo daqui e de acolá, mas cada ruído no seu canto e com a sua importância.
Quando se toma a liberdade de falar em ruído, esquece-mo-nos daquilo que ele também gera, a cacofonia, e essa não é algo que nos importe assim tanto para o âmago dos seres, dos seres vivos, e talvez dos mortos, não sabemos, mas podemos saber, humm, talvez!

A cacofonia é o extremo, e os extremos são, na sua maioria, adversidades, são meios dos quais necessitamos de um antídoto para ultrapassar, e pode eventualmente ser algo útil, num momento ou noutro, como forma de fuga, de escape, ou talvez em momentos de loucura, mas no nosso mais profundo sentido, é geralmente uma coisa de se mudar de parágrafo!

No meio de todo o ruído, vamo-nos perdendo e deixando para trás alguma da nossa sensibilidade, a nossa essência, a nossa intimidade fica com muros dos quais vamos perdendo a agilidade de os ultrapassar. E a razão está, como em todas as nossas desavenças internas, pela falta de equilíbrio, pois é, já cá faltava este, a balança, a corda bamba, mas é uma verdade absoluta, porque como em tudo na natureza, o equilíbrio é o que nos faz evoluir e sermos mais conscientes. No meio de todo este ruído, terá que haver algo muitíssimo importante, que é o silêncio!

O silêncio é o versus, é o outro lado, mas é aquilo que, dentro da constância moderada, nos trás à razão a importância do ruído. O silêncio, ou o não ruído, é o antídoto para a realização, para a escuta interna, um olhar para a essência, um gatilho para muita solução, seja num plano mais físico, como noutro mais subtil. O silêncio é o garante de acalmia interna, é a ignição necessária para a solução de muitos e muitos problemas e é um meio de extrema importância para algo que muito poucos tendem a executar, que é a meditação.
O não ruído é algo que por vezes transcende, e no meio da cacofonia, quem reconhece o que realmente necessita? Mas é realmente possível perceber isso, em qualquer circunstância, desde que tenhamos a consciência da importância dos dois lados, e ter em mente que devemos usar a "balança".

Tudo isto é natural, apesar de inconsciente. Mas quando se torna concreto na nossa mente, torna-se mesmo mágico, por vezes indescritível e de quando em vez, simplesmente nos leva ao êxtase.

Assim eu vejo a importância do Silêncio, como uma estrada que podemos percorrer, mas com a melhor das paisagens e com o tempo ideal para dela nos deleitarmos.


Medita e aproveita o que o universo nos dá!